UF de Achete, Azoia de Baixo e Póvoa de Santarém

Tradições

Crenças Populares

  • No dia de Vera Cruz (3 de Maio), mandava a tradição que, de manhã, bem cedo, se colhesse um ramo de maias, giestas e outras flores do campo e com elas se fizesse uma cruz para colocar na porta principal da casa, para a preservar dos espíritos do mal e trazer prosperidade nas searas.
  • Para atrair a sorte guardava-se uma noz de três quinas no fundo de uma gaveta ou arca e uma ferradura que fosse achada era colocada atrás da porta.
  • Não se devia contar os astros que brilhavam no firmamento, apontando-os, porque nasceriam cravos e verrugas nas mãos.
  • Sentir comichão no nariz é amor dum velho e na palma da mão é dinheiro inesperado.
  • Maio que não dê trovoada, não dá coisa estimada.


Provérbios

  • Fevereiro quente, traz o diabo no ventre
  • Remenda o teu pano, chegar-te-á ao ano, volta a remendar voltará a chegar
  • Candeia que vai à frente, alumia duas vezes
  • Março, Marçagão, de manhã Inverno, de tarde verão
  • Em Abril vai a velha onde quer ir e a sua casa vem dormir
  • Abril frio e molhado, enche o celeiro e farta o gado
  • Em Abril águas mil
  • É mais fácil pensar que dizer
  • Cara bonita é meio dote
  • Dos fracos não reza a história
  • Dos que não comem mel, livre Deus a minha colmeia
  • Duro com duro não faz bom muro
  • Do dizer ao fazer vai grande distância
  • Do prato à boca, se perde a sopa
  • Discurso comprido, mentira comprida
  • Em casa do nosso compadre, grande fatia ao nosso afilhado
  • Falas de mel, coração de fel



Jogos Tradicionais

Jogo das cartas – praticado essencialmente pelo sexo masculino nos dias chuvosos em que não se podia trabalhar nos campos, ao serão nas longas noites de Inverno, aos domingos e feriados sempre que se juntava um grupo de amigos.



                                                                                 



Chinquilho ou Jogo da Malha – Jogo praticado ao ar livre, por um grupo de amigos que se juntava á porta de uma tasca ou taberna, local onde se encontrava o material necessário: discos ou malhas de ferro e dois pinos ou paulitos.
Consistia em cada jogador conseguir derrubar o pino ou paulito, arremessando a malha na sua direção, a uma distância pré – determinada. 




                                                                     



Jogo do Pau – O jogo do pau é uma técnica de luta, em que a arma é um simples pau direito e liso, da altura aproximada de um homem, empunhado e manejado adequadamente por cada um dos contendores, que com ele procuram por um lado atingir os adversários, e por outro defender-se de golpes por este desferido. Um bom jogador de pau não receia a luta com qualquer adversário que use outras armas.


                                                                        

  • Partilhar 

© 2022 UF de Achete, Azoia de Baixo e Póvoa de Santarém. Todos os direitos reservados | Termos e Condições

  • GESAutarquia